terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Coisas

Coisas, as coisas. É tão vulgar falar-se de coisas hoje em dia. eu coisei a minha coisa depois do coiso ter ido ao coisado.
Coisas né?
Mas coisas são importantes! Tão importantes que recebem o digno nome de uma coisa importante: coisa!
É excelente! podemos sintetizar todo o que queremos numa só palavra... um sitio, uma pessoa, uma situação, um objecto, a realidade. Aquela coisa.

Desmistificamos todo o oculto numa simplificação extrema, tornamos todo o sentido muito restrito. Para quê falar de uma cadeira enquanto pode ser só mais um coiso?

Não? já chega de coisos? chateia? incultura? a realidade perde mais sentido do que ( não )tem? também acho. Deixemo-nos de coisas e passemos a tratar as coisas por tu. Quando falo com o computador digo sempre o mesmo: Oh computador, não me fodas. ( Olhem la o que seria dizer ao computador: Oh coiso, não me fodas ( até soava mal se alguém ouvisse e não percebesse a coisa! ))

Em resumo, as coisas são pobres e não facilitam a expressão da alma.

Coisas*

2 comentários:

C. disse...

ahahahahahahah "oh computador, não me fodas!"


(verificação de palavras:ferchave)

å½xandra disse...

Que destratamento aos coisos e coisas! Nunca se ouviu dizer que a Filosofia é "..." ?
Então, "coiso" é o expoente filosófico de uma suposta geração de cérebros geniais e afins. Pensemos...
Coiso gera um rolo de infinitas possibilidades dentro de um qualquer vocabulário, que até pode ser estrangeiro! Mas também pode ser traiçoeiro. Para quem é mais paranóico, alguém que lhe diga "Oww, és tão coiso!", pode até ser o maior elogio, mas há-de gerar um engano e mal estar.
Isto tudo só para dizer que Coiso é a maior expressão do português de tenra idade mental que ainda não aprendeu mais palavras além das que existem na gíria :D

Coisas para ti também! (Como... Vai dar uma curva... Ou parabéns pelo post.)

*